Sobre a DGS

As Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) são geradoras de diversos tipos de resíduos distintos e, de acordo com o instituído pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, são responsáveis pelo correto gerenciamento destes resíduos. Historicamente, diversas IFES tem se preocupado com o gerenciamento dos resíduos produzidos. Neste contexto, a UFV tem histórico de ações desde a década de 70, que iniciaram com coleta seletiva de papel para reciclagem. Na década de 80, houve designação de comissão para elaboração de relatório  que contivesse as bases para Política de Controle Ambiental da UFV (click aqui para acessar o documento), contendo diagnóstico e ações sugeridas para redução do impacto ambiental produzido pelas atividades institucionais. Constava no relatório um breve diagnóstico voltado aos resíduos sólidos urbanos e propostas para adequação destas condições, inclusive citando a necessidade de atenção especial aos resíduos de serviço de saúde (RSS).

Na década de 90, um marco no gerenciamento dos resíduos sólidos da UFV é a criação do Projeto Reciclar. O projeto de cunho extensionista tinha como objetivos a melhoria da coleta seletiva, com ampliação da quantidade de resíduos encaminhados a reciclagem. As ações eram focadas em capacitações, divulgação de informação, implantação em departamentos e monitoramento. O projeto chegou a contar com mais 30 voluntários e em alguns anos, conseguiu destinar 37,5% dos resíduos para reciclagem. O projeto foi encerrado em 2015, mas as informações estão disponíveis em www.projetoreciclar.ufv.br. As atividades de coleta de resíduos eram executadas em parceria com o então Serviço de Parques e Jardins (posteriormente Divisão de Parques e Jardins – DPJ), que realizada a coleta seletiva dos recicláveis e coleta convencional, que coletada o restante do material não encaminhado à coleta seletiva para disposição final.

No ano de 2005, outra comissão foi formada para elaborar soluções aos resíduos perigosos produzidos pela UFV. Havia histórico de destinação de resíduos produzidos em laboratórios desdes 2002, mas entendia-se que a instituição não possuia o completo entendimento a respeito deste tipo de resíduo. A partir dos trabalhos dessa comissão, disponíveis aqui, foi criada a Gerência de Resíduos e Rejeitos Tóxicos, Químicos, Biológicos e Radioativos (GRR), com o objetivo de ser o órgão responsável pela coordenação, supervisão, assessoramento e suporte técnico à execução de atividades na área de gerenciamento de resíduos e rejeitos tóxicos, químicos, biológicos e radioativos na instituição. A partir de então, a universidade passa a ter duas frentes de gerenciamento de resíduos: a primeira para gerenciamento dos resíduos comuns (material semelhante ao resíduo domiciliar), com Projeto Reciclar e DPJ; a segunda com a GRR no gerenciamento dos resíduos perigosos, com foco inicial nos químicos laboratoriais, infectantes, perfurocortantes e lâmpadas contendo mercúrio. No ano de 2010, a GRR contratou serviço de elaboração de Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde para UFV (PGRSS/UFV)¹

Em 2015, considerando a necessidade de integrar as atividades de gerenciamento de resíduos, a GRR e o DPJ foram transformados em Divisão de Gerenciamento de Resíduos (DGS), que assume como objetivos de coordenação, supervisão, assessoramento e suporte técnico à execução de atividades na área de gerenciamento de resíduos de toda a UFV, campus Viçosa. A DGS está vinculada à Diretoria de Manutenção de Estruturas Urbanas e, acima, à Pró-Reitoria de Administração.

Esse site é produto das atividades deste novo setor e servirá como divulgação de atividades, resultados, notícias e informações técnicas a comunidade, prezando sempre pela transparência no repasse de informações.

NOSSA EQUIPE (breve)


¹ – PGRSS/UFV está em atualização e será apresentado em breve.

Endereço

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2014 - Mantido com Wordpress